Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Há Lobo no Cais

PokemonGo, máquina de fazer dinheiro e outras coisas…

 Untitled-4-3.jpg

 Não passa indiferente a ninguém e muito se fala do novo jogo Pokemon Go, seja a falar a favor, contra, a elogiar ou a gozar. Mas que conclusões se podem tirar destas poucas semanas de existência?

Na minha opinião a ideia base não foi criar um jogo, embora se tenha lá ido parar, uma vez que a parte lúdica com os pokemons, ovos, evoluções etc e tal facilitam o objetivo final da aplicação, chegar ao “rebanho” e fazer dinheiro com eles. Uma parte diretamente com o jogo, outra, o maior bolo, indiretamente a partir da informação que o jogo consegue obter a partir dos utilizadores, mas a isso já lá vamos.

 

Não digo que seja uma estupidez, se quem o joga tiver até 12 anos de idade, uma vez que mais não é preciso em termos de raciocínio ou capacidade de compreensão. Agora estúpido é dizerem que porque as pessoas se têm de mexer, o jogo já fez mais contra a obesidade que qualquer plano oficial. Onde está a educação alimentar? Quem acompanha ou controla o exercício feito? Todos os grupos musculares são utilizados? Claro que não, apenas uma balela que um adulto com raciocínio de 12 anos se lembrou de usar como justificação. Sejamos realistas a responsabilidade é de quem educa e não de uma qualquer empresa gigante dos jogos eletrónicos. Considero que o jogo é idiota (em termos do que é considerado diversão e estimulo intelectual para um adulto), como tal não jogo e não é por isso que fico em casa ou que não cuido da parte física. Fui educado a ter atenção à alimentação e foi-me incutido o gosto pelo movimento, pelas atividades desportivas. já agora é bom lembrar que é um jogo, os miúdos jogam até aparecer o próximo grande jogo do MOMENTO, ai abandonam o anterior. Já podem ser gordas nessa altura?

Agora o que realmente é e foi pensado para ser, é uma gigantesca máquina de gerar dinheiro, o 1º e único interesse de uma multinacional, dinheiro, dinheiro e dinheiro. Seja de forma direta, indireta, declaradamente ou disfarçadamente.

Uma vez que o jogo faz uso do GPS para a localização e controlo da movimentação do jogador na caça aos pokemons, a empresa passa a ter em base de dados todas as movimentações dos jogadores. Por onde anda, a que horas, com que regularidade. Informação que se lhe fosse pedida diretamente, mesmo que para efeitos de segurança, seria recusada alegando “direto à privacidade”, que queriam controlar as pessoas qual "Big Brother is watching you". Para os que vierem dizer que os dados estão protegidos apenas relembro que os servidores dos governos, dos bancos também e ainda assim entram neles. E quem disse que não é a própria empresa que vai usar ou vender tal informação?

E não digam que não fariam tal coisa, a McDonald já está entre os 1ºs parceiros, como se sabe é o ideal para a boa alimentação, mas o dinheiro fala mais alto e onde acham que vão aparecer os melhores pokemons? Passam a “patrocinar localizações” e assim vão conseguir atrair centenas de pessoas para lá e garantidamente uns quantos “atletas” vão aproveitar para comer um hamburger ou um gelado.

Ou seja é possível por as pessoas, qual carneirada, a ir para aqui, para ali, passa neste shopping, vai aquela loja ou pior. Já aconteceu de jogadores irem todos contentes a ponto assinalado no mapa como tendo pokemons para ao chegarem descobrirem que afinal eles é que eram os pokelorpas, entregaram as carteiras e telemóveis aos assaltantes que os esperavam.

Não é politicamente correto dizer isto, mas destes, dos que caem em buracos e dos que são atropelados não tenho pena nenhuma, chamo-lhe “seleção natural do sec. XXI”. Alem de que jogo que o Justin Bieber jogue não pode ser nada de bom para a sanidade de pessoas com dois dedos de testa.

 

 Nota – Também se morde outras coisas no facebook, curiosos?

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.