Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Há Lobo no Cais

o SE não existe…

sonhos_capa.jpg

 Quando é que as pessoas vão meter isso na cabeça? Que devem dizer/pensar “Sofrer por antecipação, não obrigado”.

Não entendo quem vive com baixas expectativa perante a vida. Eu só iria conseguir andar triste ou até mesmo em estado depressivo! Prefiro sonhar em grande, sonhar com múltiplas possibilidades positivas... Se não correr bem, pelo menos enquanto sonhei andei feliz e sorridente. Qual o mal de sonhar que vai sair o euromilhões? Desde que se continue a trabalhar...
o problema é que existem muitas pessoas que não vêm que estão ao passar ao lado da própria vida, que não estão a viver ou que estão a viver pelo que os outros podem achar ou pensar delas!

 

No seguimento, do que escrevi, temos as pessoas que não têm sonhos próprios! Claro que não se pode viver nas nuvens, claro que devemos ter a capacidade de ser feliz com o que já temos e vamos encontrando pelo caminho. Mas isso não pode servir de desculpa para não ir mais além. Um recorde só tem lógica se for usado como referência, como algo a superar. Vão chamar-te de maluco, ainda bem, estás então a viver/superar e com isso a crescer alegremente.

E as pessoas que vivem com uma máscara para impressionarem outras!? Certo, são umas falsas, mas será que têm noção que debaixo disso não vai existir nada, pois nada foi realmente construído!? Como é possível as pessoas perderem tempo a analisar qual a visão que os outros têm dela? ou no que acham que o mundo quer ver nelas? A ideia que têm de ser perfeitos para impressionar tem tanto de estúpida como de utópica. Ainda mais quando derem por ela que a perfeição tem defeitos para assim o ser.

Claro que muitas vezes os “SE…” aparecem por culpa de quem deixamos ser influencia para nós. Isso de manter companhias negativas por perto, não é boa ideia. Qual a dificuldade em entender que não se é obrigada a manter as pessoas por perto? É uma escolha de cada um e se escolhes esse tipo de pessoas, és tu que lhes estás a dar a arma para te derrubarem. Pessoal sorridente, brincalhão, boa onda sempre será motivo de boa disposição, boas energias e sempre para cima, como tal a subida será mais fácil. Claro que se a isto a pessoa em questão for daquelas que evita mudanças/crescimento, vamos ter uma bela “bomba”. É assim difícil aprender a deixar o passado no seu devido lugar? Aprendam, ele não volta, nem se pode lá ir mudar nada. Como tal é abrir novos caminhos. Claro que se deve aprender com o que passamos, mas é mesmo isso, lições e nada mais. Entender isso é simples. Basta olhar para as mudanças ao longo da nossa educação. Ao logo da vida as regras mudam, se numa certa idade pedir pra sair resultava num “não”, depois passou a “se o teu pai deixar”, a seguir em “vê lá as horas” até ao dia que tu dizes “vou sair, não venho dormir a casa”. Quem não lutar pelas mudanças, não vai crescer até adulto.

E o pessoal que desiste SE algo ficar difícil? Esses merecem mesmo é porrada, então têm a oportunidade e desistem. Claro que nem sempre o resultado é o esperado, claro que pode correr mal e até muito mal. E depois? Chama-se viver e viver é algo que se enquadra na “ciência” do “tentativa e erro”. Nem mais, tentar, cair, levantar e tentar de forma diferente, que fazer igual e esperar resultados diferentes é de estúpidos. Claro que desistir entra nesta parte de fazer igual.

A vida sem os “SEs” é algo que acontece quando relaxamos e deixamos a vida acontecer sem preocupações excessivas. Respirar fundo e ser forte o suficiente para deixar para trás o que não é bom para nós. Claro que se acharmos que o tempo é infinito é coisa para correr mal. Ir devagar é diferente de ir parado, “preciso de tempo” é diferente de “empurrar com a barriga”.

É importante entender que o mundo não nos deve nada, se queremos temos de fazer. Até porque, como vi há pouco tempo não passamos de 1 dos mais de 7 biliões de seres humanos que por aqui andam a dividir o planeta com mais 3 milhões de outras espécies. Planeta que não passa de uma areia no universo.

 

 Nota – Também se morde outras coisas no facebook, curiosos?