Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Há Lobo no Cais

Nem sempre somos o que parecemos.

large.jpg

 Nem sempre o "ar de" indica que se é tal e qual assim, como nos pintam. Já pensaram que pode ser uma forma de manter certo tipo de pessoas afastadas? Nomeadamente as que têm mais do que “ar de…” e são mesmo pessoas desinteressante!
Há ainda as vezes em que até é bom que se tenha “ar de”, ou estamos é a dar tiros nos pés. Quem é que mostrando as suas fraquezas não as vai ver usadas contra si pelas ditas pessoas que não interessam a ninguém?

 

A vida é mesmo assim, saber quando assumir o nosso Eu e quando não é mau ter “ar de”. É preciso ter sempre cuidado nos julgamentos que fazemos sem conhecer melhor as pessoas e esperar que o bom senso impere em cada opinião que é formada para com a nossa pessoa. Claro que os “fracos” tendem a rotular os outros como tendo “ar de” , tentando rebaixar os outros como forma de se sentirem superiores. Os fracos temem a felicidade, a dos outros e até a deles. Com medo de viver, conseguem aleijar-se até com algodão.

Para vivermos positivamente a vida temos de fazer como Freud dizia, “somos feitos de carne, mas temos de viver como se fossemos de ferro.”

 

Nota – Também se morde outras coisas no facebook, curiosos?