Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Há Lobo no Cais

Não são velhotes, são idosos e modernos!

1374503_10202172900749835_1318250354_n.jpg

 

 Já repararam no quanto mudou a 3ª idade? Para começar deixaram de ser velhotes, são apenas idosos que a idade ninguém lha tira. No entanto se olharem vão reparar e quem sabe achar piada como eu à forma como estão a encarar a vida. Cada vez mais têm atitudes e atividades diferentes, daquelas que “já não são para a vossa idade”.

Ainda no outro dia na esplanada assisti a um momento desses, atitude e alegria de adolescentes, “Pooorra (como quem diz um “foooda-se”), vens cheio de calor!?”, diz o cota que estava agarrado ao tablet ao cota de cabelo estilo “Einstein” que chegava de sapatilhas, calças de ganga e pólo de manga curta. O verdadeiro puto que viu sol e achou logo que era verão!

 

Nada de velhotes sisudos, calados e de mal com a vida, idosos que quais adolescentes barulhentos se pegam de forma brincalhona e animada. E não pensem que são só os homens, também tenho visto velhotas (idosas, desempoeiradas e que vão à ginástica. Provavelmente mais que as netas) cheias de lábia para com os homens e até a entrarem em algo que era “deles”. Sim, puxarem elas de cartas ou domino e desafiarem os homens a tentarem ganhar-lhes! Lá está para elas, malhas e tricot é coisa para velhas não para idosas e modernas, roupinhas para as netas, vão ao shopping comprar.

Só que estes “novos” idosos, cada vez menos, calmos, parados, amorfos e mais ativos, barulhentos numa de “é tudo nosso” já está a ocupar espaço que seria dos realmente novos. É verdade, já não foram nem uma nem duas vezes que se tentou ir jogar um bilhar ali ao casino e tivemos de esquecer tal ideia. A mesa é deles, eles são muitos e ficam até tarde. Nisso a culta acho que é da mini-saia da farda das funcionárias “novinhas e roliças” que os atendem.

Têm é de agradecer à medicina a ajuda que lhes dá, por exemplo aquele comprimido (não, não falo do azul) que se toma antes das almoçaradas para ajudar a digestão. O dito já deu azo a ver três chegarem à esplanada depois do dito repasto e ainda antes de chegar o café já estarem a dizer “como é? Para a semana, vai uma posta? Conheço um sitio dos bons, a posta tem dois dedos de altura a pinga é boa e fica barato.” Nenhum colocou reticências ou disse que o colesterol ou o raio não permitia. Pena foi não ter entendido o local, devia ter perguntado. Se há coisa que são especialistas é em conhecer todos os bons tascos da zona.

Mas o que realmente me da gozo é assistir aos jogos de “ataque” que os viúvo(a)s fazem. Nota-se nitidamente que não morreram e em todos os sentidos (mas ai deve ser, “abençoada comprimido azul”). Parecem adolescentes com “é meu…”, “ai ele não me liga”, “vai lá q ela gosta de ti”, ao ponto de ter já ouvido (falam alto, não sei se por défice auditivo ou para marcar posição) “mas ela que não pense que eu não entendi que me ligou a ver se tinha ido sair com o “Manel” ou se estava em casa…”.

Viva a 3ª idade que está bem viva. Claro que eu tenho um exemplo bem próximo. Uma avó com 87 anos que gosta de ir pró seu quintal, mais ainda de sair, festa diz “vai mudar a hora de ir ao cabeleireiro. Naquele horário são só velhas!” Refere-se ela a senhoras com a idade da minha mãe, sua filha.

Por isso não os tratem como velhos, velhos são os trapos. São apenas idosos com muita vida e lições.

 

Nota – Também se morde outras coisas no facebook, curiosos?

 

1 comentário

Comentar post