Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Há Lobo no Cais

Mitos… de quem não pensa

 Já repararam que existem pessoas que dão umas “desculpas” que não passam de mitos urbanos? Um forçar algo que facilmente é desmontado.

Quem não foi já convidado, ou mesmo chateado, para ir a algum restaurante, bar ou mesmo festa de fim de ano, com o argumento que “temos de ir, se aquilo está cheio é porque é bom”? Não é assim que avalio os locais, nem acho que seja o correto pois isso de ser uma “Maria vai com as outras” não é recomendável.

 

O mais frequente é termos um local “fabricado” pelo marketing, pela moda ou pela presença de “famosos” (sim, aquelas pessoas que normalmente não tem onde cair mortas e vão onde lhes pagarem algum ou que pelo menos consigam jantar) e que tão rapidamente está cheio como já está vazio porque o spot mudou e os palermas mais uma vez enganados, foram atrás.

Estas mesmas pessoas costumam a seguir vir com uma outra frase. É que normalmente o serviço em espaços muito cheios é fraco e o pessoal que acordou para a realidade começa a resmungar e nessa altura entra o “Está a demorar porque querem fazer bem feito”. Não será porque não foi pensado para tantas pessoas? Estarem a querer faturar mas não a querer investir em pessoal? Ou então, para rebanho que são, esperar pelo fardo da palha é algo que agrada.

Será que no fim, quando ficam com a carteira vazia, ou mesmo sem carteira o rebanho pensa “se foi caro é de qualidade”? Ou existiram alguns do rebanho que ficam a chorar? Não chorem, lá diz o mito, “se te fez chorar, é amor”.

De uma coisa estou certo, é escusado ficar à espera que “se o remédio arde, cura…” um rebanho vai ser sempre um rebanho, mesmo que tosquiado.

 

Nota – Também se morde outras coisas no facebook, curiosos?